Pesquisadores afirmam que a Auto-Compaixão é uma estratégia eficaz no Tratamento da Depressão

03/07/2014

Autor: Vitor Friary

 

Um dos componentes fundamentais da prática de Mindfulness é a atitude conhecida como gentileza. A auto-compaixão tem tudo a ver com a gentileza. Significa a habilidade do indivíduo de ser gentil com as experiências que ocorrem neste momento em sua vida, trazendo uma disposição ativa de entendimento profundo e livre de julgamento do que ocorre.

 

Com o intuito de investigar se a auto-compaixão seria eficaz como um mecanismo terapêutico no gerenciamento de emoções indesejáveis, como a depressão por exemplo, pesquisadores da Universidade de Mainz na Alemanha e da Universidade de Boston nos Estados Unidos, conduziram um estudo para verificar isso de perto.

 

Segundo os autores desse estudo, a habilidade de reavaliar cognitivamente as situações percebidas como indesejáveis e a aceitação, são duas estratégias saudáveis e adaptativas para regular as emoções na depressão. A literatura científica também vem reconhecido que a estratégia de auto-compaixão também é uma estratégia potencial de enfretamento na depressão.

 

O experimento desse estudo contou com 48 participantes, todos tendo os critérios básicos de trantorno de depressão maior. Em quatro pontos distintos, os participantes foram induzidos experimentalmente a sentir humor depressivo, e após cada indução de humor foram convidados a esperar, outro a reavaliar a situação, o outro foi convidado a aceitar suas emoções indesejáveis e um último grupo foi instruído a aplicar uma prática de auto-compaixão, todas condições com o intuito de regular humor depressivo.

 

Os resultados desse estudo mostraram que os participantes do grupo de auto-compaixão tiveram uma redução muito maior e mais significativa quando comparados com o grupo que apenas foi instruído para esperar. Não houve registro significativo de diferença entre o grupo de auto-compaixão e o grupo de aceitação das emoções, assim também como não houve diferença significativa estatisticamente entre o grupo de auto-compaixão e reavaliação cognitiva. Entretanto, os pesquisadores identificaram que a intensidade do nível de depressão relatado pelos participantes no início do experimento foi percebido como um moderador no processo de comparação de eficácia entre os grupos de auto-compaixão e reavaliação da situação, com uma tendência da auto-compaixão sendo mais eficaz do que a reavaliação da situação em participantes com maior intensidade de humor depressivo no início.

 

Este estudo agrega evidência de que práticas que envolvam a gentileza e auto-compaixão, como a mindfulness, como uma estratégia de regulação das emoções em pacientes com depressão é eficaz, principalmente quando existe um sofrimento intenso decorrente de altos níveis de humor depressivo.

 

 

 

FONTE: Behaviour Research and Therapy Journal, 2014 Jul;58:43-51. doi: 10.1016/j.brat.2014.05.006. Epub 2014 May 27. Self-Compassion as an emotion regulation strategy in major depressive disorder. Driedrich, A., Grant, M., Hofmann, S.G., Hiller, W., Berking, M.

 

 

 

Please reload

Destaque

Interação entre Mudanças Neuroanatômicas e Psicológicas Após Treinamento de Mindfulness

11/11/2014

1/10
Please reload

Recente
Please reload

Procure por palavras-chave